Support Wikileaks

Se compreender é impossível, conhecer é necessário.
Primo Levi

“Do rio que tudo arrasta se
diz que é violento
Mas ninguém diz violentas as
margens que o comprimem” B.Brecht

"Politicians should read science fiction, not westerns and detective stories." - Arthur C. Clarke

Time is so old and love so brief
Love is pure gold and time a thief (Billie Holiday)

Ai que preguica! (Macunaima)

No creo en la eternidad de las peleas
Y en las recetas de la felicidad (John Drexler, Mercedes Sosa)

Na aula de hoje: Todo vice é um Kinder Ovo; vem com uma surpresa dentro.



quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Suicidio assistido

Esta semana Lucio Magri, fundador do Il Manifesto foi, como diz a matéria Lucy in the Sky, pro céu, ou pra terra. Não estava bem por vários motivos, então foi para a Suíça, de onde não voltou mais.



Na revista L´Ateo, publicada pela Unione degli Atei e degli Agnostici Razionalisti, n.2/2011 (74), uma matéria de Carlo Tamagnone faz referência ao suicídio de Mario Monicelli, expressando-se mui dignamente com o seguinte parágrafo:

" Secondo me il grande creativo si è tolto la vita perchè non era più in grado di creare, perchè la sua dignitá e il suo modo di concepirsi erano irrimediabilmente compromessi. Il suo gesto è stato quindi um atto di dignità che egli aveva espresso vivendo e lavorando l´ha cercata morrendo al suo modo."



Se quem vive a vida é uma unidade biológica única e se na vida está implícita a morte, é lógico que se dê a liberdade de tal decisão: viver ou não. Morrer ou não. Sem hipocrisia, sem "valores morais, éticos e religiosos".

Dormimos e acordamos na solidão, independentemente de termos alguém ao nosso lado.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Abertas as incrições para o Processo Seletivo do Programa de Aprimoramento Profissional, da FSP USP em 2012

A Faculdade de Saúde Pública, torna pública a abertura do Processo Seletivo para preenchimento das vagas do Programa de Aprimoramento Profissional, a ser oferecido pela Instituição em 2012:


Por que ilustrar a postagem com La Grande Jatte de Seurat?
Porque morando anos ao lado da FSP-USP e da Medicina da USP, sou testemunha ocular de que @s "bonitinh@s" da medicina frequentam os resturantes da região com seus "jalecos melecos", numa atitude insana e provocativa, proposital ou inconsciente não sei, que simplesmente desvaloriza todo o conhecimento transmitido pela FSP-USP.
Então , na minha fantasia, imagino-@s fazendo pique-nique tendo como toalha seus jalecos melecos, kkk. Será que na sua prepotência acadêmica também estacionam o carro sobre a faixa de pedestres?

Um dos poucos restaurantes da região que põe em evidência "advertissement" da proibição do porte de jalecos no restaurante - que tem uma comida maravilhosa, é Los Pioneros.

Direito Sanitário e Advocacia em Saúde
Terá duração de 1 (um) ano, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.

Entomologia Médica e Soroepidemiologia
Terá duração de 1 (um) ano, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.

Psicologia em Unidade Básica de Saúde
Terá duração de 2 (dois) anos, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.

Nutrição em Saúde Pública
Terá duração de 1 (um) ano, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.

Nutrição Clínica
Terá duração de 1 (um) ano, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.

Laboratório de Saúde Pública
Terá duração de 1 (um) ano, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.


As inscrições serão recebidas durante o período de 21 a 25/11/2011, das 11:00 às 16:30 horas, no Serviço de Alunos da Faculdade de Saúde Publica, Av.Dr.Arnaldo, 715, Cerqueira César.

Engenheiro da BP em entrevista sobre vazamento de petróleo...

no Golfo do México. A matéria está no site do Itamaraty, e foi dada às jornalistas Malu Gaspar e Renata Betti, em fevereiro de 2011.

"CEO que assumiu a BP depois do maior vazamento de óleo da historia americana admite falhas da empresa e diz que o caso levará a atividade a se tornar mais segura..."

...Que lições a BP extraiu da tragédia?

O acidente mostrou quanto precisamos ainda avançar em nossas políticas de prevenção de acidentes. O desastre estabeleceu um novo marco para toda a indústria de petróleo....


Link:
http://www.itamaraty.gov.br/sala-de-imprensa/selecao-diaria-de-noticias/midias-nacionais/brasil/veja/2011/02/07/foi-uma-sucessao-de-erros-entrevista-robert-dudley




imagem: Sky Truth
link: http://blog.skytruth.org/




sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Quem é o sujeito da frase em Esse Mar é Meu de João Nogueira?

NAMOR? - O Príncipe Submarino



FLIPPER?



GLU GLUB?



ESTHER WILLIAMS?



CHEVRON?



POSTAGEM ANTERIOR:

http://basicregisters.blogspot.com/2011/02/chevron-texaco-condenada-pagar-por.html


Piove

Pozzoli sai dos conservatórios e "Ocupa" Wall Street





Mais manifestações pelo planeta:

Londres: temperatura entre 9°C e 16°C
Barcelona: 11°C e 17°C
Milão: entre 1°C e 11°C
Atenas: entre 7°C e 15°C
Nova Iorque: entre 1°C e 8°C

Brasil: qualquer temperatura é desculpa pra não ter manifestação...

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Olho para a Belgica e tenho inveja deles...tantos meses sem governo...


...os gregos deveriam receber 1 euro por dia pela contribuição cultural que deram à civilização.
Não há crise na Itália, os restaurantes estão lotados...Berlusconi segundo Benigni.

Roberto Benigni

DES-ABAFO



http://politica.elpais.com/politica/2011/11/08/actualidad/1320781683_595184.html

Sinceramente não vejo qualquer possibilidade de uma união como essa, por aqui. Nossa cultura escravagista ainda persiste , mesmo que disfarçada , mesmo que mimetizada e ou justificada pelos valores neoliberais. "Vendiamos a mãe", agora vendemos a alma a dignidade para comer, morar, vestir, sarar, pensar, crescer... Não sei de onde vem a idéia de que o brasileiro é gentil. Com quem?









Esse meu pessimismo é reforçado quando, pela manhã, caminhando em direção à estação do metrô do (largo) Santa Cecília, indo fazer exames de rotina,vejo - em frente ao prédio da Secretaria de Estado da Educação‎, que fica no N°354 da rua Jaguaribe, bairro de Santa Cecília em São Paulo - entre o muro e um canteiro sujo com uma árvore plantada , fezes humanas com seu odor característico, alí bem na calçada onde caminham pais que levam seus filhos na escola, ao lado da Secretaria. As fezes me incomodaram menos do que o descaso, a cegueira, a promiscuidade das pessoas com a merda privada que tornou-se pública. O nonsense é normal ou o normal é nonsense. O que é normal o que é nonsense... E o pulso ainda pulsa.

Postado enquanto espero ....

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Paz Rojo no IV Festival Contemporâneo de Dança

12.11.2011 - 13.11.2011 | Artes Cênicas
Paz Rojo no IV Festival Contemporâneo de Dança

A IV edição do Festival Contemporâneo de Dança reúne artistas de diversos países que vivenciam a dança como uma experiência urgente, visceral e, por vezes, desestabilizadora. Desde sua primeira edição, o festival procura aproximar o público aos processos criativos em dança contemporânea, fomentando a formação e a experimentação artística nas distintas atividades programadas. O CCE_SP, que vem apoiando o Festival em anos anteriores, traz nesta ocasião a bailarina e investigadora em dança contemporânea Paz Rojo (Madri), com o espetáculo Lo que sea moviéndose así.

Lo que sea moviéndose así, de Paz Rojo
Data 12 e 13 nov | Horário Dia 12 as 21h e dia 13 as 19h30 | Local Galeria Olido, Avenida São João, 473. Republica São Paulo SP

IV Festival Contemporâneo de Dança
Data até 13 nov | Horário Diversos | Local Consultar programação

+ info http://festivalcontemporaneodedanca.com
Fonte: http://www.ccebrasil.org.br/programacao/2011/11/1/15-encontro-avlab-sao-paulo-dj-profissao-do-undeground

De 1 a 13 de novembro de 2011 será realizada a quarta edição do Festival Contemporâneo de Dança, reunindo artistas de diversos países em São Paulo

A 4a edição do Festival Contemporâneo de Dança reúne em São Paulo artistas de diversos países que vivenciam a dança como uma experiência urgente, visceral e, por vezes, desestabilizadora. Experimentando múltiplas corporeidades e diversas maneiras de estar e de se relacionar com o outro, estes artistas lançam um olhar crítico sobre sua própria prática, questionam os padrões de representação a que estão habituados, e expandem nosso entendimento do que pode ser dança.

Desde sua primeira edição, o festival procura aproximar o público aos processos criativos em dança contemporânea, fomentando a formação e a experimentação artística através das oficinas oferecidas e promove o diálogo entre espectadores, artistas e pesquisadores nas distintas atividades programadas.

Em 2011, pela primeira vez no Brasil, a artista húngara radicada em Berlim, Eszter Salamon apresenta “Dance for Nothing”, solo que dialoga com a obra “Lecture of Nothing” de John Cage.

O coreógrafo marroquino Taoufiq Izeddiou volta ao festival com “Aataba” e com o solo “Aaleef”, apresentado no festival em 2008 como um work in progress. Paz Rojo de Madri e Cristian Duarte de São Paulo, que juntos participaram da 3ª edição do festival, apresentam seus mais recentes trabalhos: “Lo que sea moviéndose así” (Rojo) e “The Hot One Hundred Choreographers” (Duarte). O sueco Jefta van Dinther mostrará “Kneeding”, trabalho criado em parceria com Fredéric Gies e Thiago Granato, cujo processo foi apresentado no estúdio Nave em São Paulo, em 2010. O retorno destes instigantes artistas nos permite avaliar a continuidade das propostas e assimilar os trabalhos recentes ou revisitar os anteriores, a partir de uma abordagem processual que atualiza nosso olhar sobre as obras em questão.

Investindo também na difusão da produção brasileira, o festival convidou Michelle Moura, integrante do coletivo Couve-flor de Curitiba, que apresentará “Cavalo”, e Marcelo Gabriel de Belo Horizonte, que virá com “Quando o sol brilha mais forte a sombra é mais escura”. E, completando a programação foram incluídos dois importantes solos que merecem ser revistos: “Cornélia Boom”, solo protagonizado por Sheila Arêas e dirigido por Cristian Duarte; e “Noiva Despedaçada” de Ricardo Iazzetta.

Além das apresentações, serão oferecidas duas palestras: “Corpo sem Orgãos” com o filósofo e criador da Escola Nômade de Filosofia Luiz Fuganti, e “Corpomídia” com a dramaturgista Rosa Hercoles, coordenadora do Curso Comunicação das Artes do Corpo PUC-SP.

Ampliando as ações de formação artística e de formação de público, este ano foi inaugurado o Projeto de Residências Artísticas (P.A.R.), recebendo três jovens artistas de Montevidéu para uma imersão na programação do festival. Em contrapartida, a fim de estreitar os vínculos com o público e os artistas locais, as residentes apresentarão o trabalho “Ud. preguntará por qué bailamos”, seguido de uma conversa com Rosa Hercoles. Completando a iniciativa, as oficinas de criação desta edição, destinadas à partilha dos procedimentos e as questões que orientam as práticas dos artistas convidados, serão conduzidas por Salamon, Izeddiou, Moura e Dinther.

Com estas ações, o Festival Contemporâneo de Dança quer aproximar o público à diversidade de propostas artísticas desenvolvidas nos últimos anos no âmbito nacional e internacional, apostando no diálogo e na produção de conhecimento compartilhado. Assim, priorizando os interesses, as necessidades, as falas e os formatos de exposição escolhidos pelos artistas convidados e disponibilizando informações sobre seus processos artísticos, procuramos refletir juntos sobre os rumos e os desafios da dança contemporânea.

Em 2008, o Festival recebeu o prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) para produção, difusão e formação em dança.

A quarta edição do festival será realizada no Centro de Dança Umberto da Silva, na Galeria Olido, e no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil. Todas as atividades do festival são gratuitas.

O festival tem o apoio do Centro Cultural Banco do Brasil, Caixa Cultural, da Secretaria Municipal de Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura, do Centro Cultural da Espanha, do Consulado Geral da Holanda, do Instituto Goethe e do jornal Folha de São Paulo.

Fonte:http://festivalcontemporaneodedanca.com/

Da torre jogarei Berlusca




Giu dalla torre butterei tutti quanti gli artisti perché le trombe del giudizio suoneranno per tutti quelli che credono in quello che fanno. Per gli spartani una volta era uguale buttavano giù da una rupe quelli che venivano male. Giù dalla torre butterei tutti quanti i teatranti e nostra signora dei turchi specchio delle mie brame, chi è fra noi il più bravo del reame. E salverei chi non ha voglia di far niente e non sa fare niente chi non ha voglia di far niente. Giù dalla torre butterei tutti quanti i registi gli attori e gli elettrodomestici per la vigilia della distruzione. Ritorneranno dinosauri antidiluviani una razza di super-rettili che si mangerà scialalalalalà. I presentatori specie quelli creativi che giocano ai quiz elettronici si mangerà chi fa ma non sa quel che fa. Si salverà chi non ha voglia di far niente e non sa fare niente che non ha voglia di far niente.


Nao votei em Berlusconi. participei de todas as campanhas NO BERLUSCONI DAY, homenageei a senhorinha da resistência que, aos 90 anos, na praça de Milão jurou não morrer sob Berlusconi. Taí. Agora só falta acabar com a Lega...

Read more: BATTIATO FRANCO - LA TORRE LYRICS http://www.metrolyrics.com/la-torre-lyrics-battiato-franco.html#ixzz1dDeyNeVp
Copied from MetroLyrics.com

segunda-feira, 7 de novembro de 2011